Nossa História

   Pouquíssimas pessoas conhecem o que vou relatar. Muito tempo atrás, em Vitória – ES iniciou-se na Igreja Metodista Wesleyana um movimento jovem muito intenso alcançando grande notoriedade, logo seu jovem pastor se destacou no cenário ministerial e começou a receber irmãos de várias outras igrejas wesleyanas de todo o Brasil que se dispunha a ir para lá integrar-se ao grande mover evangelístico que ali nascia. Foi de fato um avivamento espiritual para aqueles dias. Viviam ali em forma de comunidade e totalmente pela fé. A tônica era evangelismo; discipulado e oração. Logo, logo a coisa tomou proporções maiores.

 

   Muitas igrejas foram beneficiadas com o recebimento de equipes que as apoiaram. Mas, logo ocorreu o indesejável. Houve conflito de liderança; insubmissão e o nefasto desejo de voar com as próprias asas. E tudo ruiu, veio abaixo. Durante muito tempo esse trabalho deixou de existir.

 

   Assim ficou até que certa feita, estando um dos nossos então pastores servindo à Igreja como secretário regional de missões, Sr. Sebastião Calegari, atualmente Bispo e Superintendente da 2ª Região Eclesiástica, resgatou a Escomiw e a trouxe de volta ao cenário denominacional. De pronto, a Escomiw tomou a iniciativa de formar caravanas que abençoariam o Campo Missionário do Nordeste por longos anos; pois, quando a Escomiw deixou de promover tais atividades, o Departamento de Adultos da Igreja passou a realizá-lo.

 

   Porém, tão logo Deus levou o Bispo Sebastião Calegari a servir em outras áreas da Igreja, novamente a Escomiw deixou de atuar e mais uma vez foi extinta. Melhor, ficou adormecida.

 

   Em 2003, o Pr. Nehemias Rodrigues Pereira, eleito secretário regional de missões na 1ª Região Eclesiástica, recebeu nossa sugestão para restaurarmos a Escomiw como braço da SEM, que de pronto aceitou e encaminhou ao plenário como parte do seu plano de ação, tendo aprovação unânime do Concílio Regional. Para minha alegria, soube que meu nome fora apresentado ao Conselho Ministerial Regional e aprovado como diretor da Escomiw.

 

   Por saber que a Escomiw é um braço de interação para os chamados membros leigos da Igreja; uma oportunidade de resgate da sua motivação para atuar e participar ativamente dos processos de edificação e crescimento da Igreja propus no meu coração trabalhar de tal modo a buscar que essa abençoadíssima Escola Missionária Wesleyana, não mais estivesse diretamente ligada a um homem especificamente ou a um setor de atividade da denominação enquanto sob uma gestão, mas que, independente de ser um órgão da Igreja no plano oficial e organizacional, nunca mais deixasse de ser um movimento pelo qual Deus estivesse abençoando vidas, pelo menos enquanto eu pudesse trabalhar por isso e direcioná-la nesse sentido, ainda que não estando mais na sua direção.

 

   Na ocasião em que assumi a Escomiw servia como pastor local e superintendente distrital, tendo outras atividades paralelas. Logo o trabalho da Escomiw começou a tomar proporções maiores e, no final de 2006, conversei com o meu bispo, o então superintendente regional da 1ªRE, Bispo Onaldo Rodrigues Pereira, e relatei a ele o meu propósito e visão. Disse das possibilidades que enxergava na Escomiw, como um segmento de treinamento e capacitação de pessoas e de como isso poderia proporcionar à membresia da Igreja maior despertamento e preparo para deixar de ser mera espectadora do que ocorria no cenário de crescimento denominacional e participasse de forma mais ativa e intensiva nisso. Pedi a ele, que se me apoiasse, estava disposto a abrir mão da superintendência distrital; de algumas outras coisas nas quais estava ligado; e, do pastorado local por algum tempo.  Separamo-nos para orar juntos sobre tudo isso.

Tempos depois ele chamou-me e perguntou se ainda essa chama estava acesa em meu coração e em janeiro de 2007 iniciamos trabalhos de tempo integral nesse setor. Sem pressa de ver as coisas acontecendo, como é do nosso estilo pessoal. Consciente de que as coisas deveriam acontecer de dentro pra fora no coração da Igreja; que cada passo fosse fruto de uma conquista em graça diante de Deus.

 

   Em 2010, por ocasião do Congresso Geral de Missões, fui informado de que a Escomiw passara a ser um setor da Secretaria Geral de Missões, tendo eu sido convidado a trabalhar na sua implantação em todas as outras Regiões Eclesiásticas.

 

   Muito mais que apenas ir às Regiões e apenas pulverizar as bases de funcionamento da Escomiw, nosso propósito foi e tem sido ir a cada Região separando alguns e preparando estes obreiros de valor como disseminadores, promovendo-lhes um treinamento diferenciado, preparando-os para que tudo aconteça a partir do trabalho deles na Região formando assim a Coordenação Regional. Estes e muitos outros continuarão ligados à Coordenação Geral da Secretaria Geral de Missões, recebendo sua assistência. Hoje a ESCOMIW é uma realidade e tem sido cada vez mais um instrumento de capacitação de leigos assim como já fazia Jonh Wesley.

 

Por: Pr. Marcus Batista